Bruno Notícias

Notícias/Policial

Deputado diz que não vai se vacinar porque Jesus salva e testa positivo para Covid-19 pela 2ª vez

O deputado estadual Gilberto Cattani testou positivo para a Covid-19 na quarta-feira (9)

Deputado diz que não vai se vacinar porque Jesus salva e testa positivo para Covid-19 pela 2ª vez
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O deputado Gilberto Cattani (PSL) disse durante sessão de quarta-feira (09) que não foi imunizado contra a covid por não acreditar na eficácia da vacina. 

Para o parlamentar, que adora ganhar os holofotes, com frases polêmicas, ainda usou o nome de Jesus para reforçar o negacionismo. Segundo ele, quem salva é Cristo.  

É bom lembrar que o número de mortes reduziu drasticamente após o início da vacinação e que, segundo os órgãos oficiais, inclusive o Ministério da Saúde, apontam que o aumento de morte é registrado entre os não vacinados ou que não completaram o ciclo vacinal contra o coronavírus.

O deputado estadual Gilberto Cattani testou positivo para a Covid-19 nessa quarta-feira (9) junto com a mulher dele e está em isolamento em casa. O anúncio foi feito pelo próprio parlamentar em um vídeo divulgado nas redes sociais nesta quinta (10).

Cattani e a mulher não se vacinaram contra a doença. Essa é a segunda vez que eles testam positivo.

“Pegamos Covid em 2020 e estávamos até agora sem se infectar novamente, porque a imunização natural existe, mas, obviamente, com uma nova variante acabamos nos infectando de novo, assim como muitas pessoas que tomaram a vacina. Essa vai ser nossa segunda dose natural”, disse.

O deputado afirmou que já consultou o médico da família e que está tomando a medicação receitada. Ele afirmou ainda que já estava fazendo um tratamento precoce contra a doença e que, por isso, está com sintomas leves.

Em janeiro do ano passado, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou, por unanimidade, o uso emergencial das vacinas contra a Covid-19. Durante a reunião que discutiu o tema, diretores da entidade disseram que a vacina é necessária porque não há tratamento precoce contra a doença.

O "tratamento precoce", ou "Kit Covid", foi disponibilizado pelo Ministério da Saúde no início da pandemia e é uma combinação que inclui a hidroxicloroquina e a cloroquina, junto com outros fármacos. As substâncias inicialmente foram testadas em laboratório e, depois, em estudos clínicos, pesquisadores de diferentes universidades e países comprovaram que não há prevenção e/ou tratamento com a ajuda de medicamentos.

De acordo com Gilberto Cattani, a mulher dele apresentou alguns sintomas da Covid-19 durante a semana e, nessa quarta-feira fez o teste e confirmou o diagnóstico.

Ainda na quarta, o deputado participou normalmente da sessão da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) e chegou a usar a tribuna para falar sem máscara de proteção.

Ele afirmou que após os compromissos, também fez o teste e deu positivo. Em seguida, a agenda de compromissos da semana foi cancelada.

Contra obrigatoriedade da vacina

Gilberto já se manifestou contra a obrigatoriedade da imunização contra a Covid-19. Ele também é autor do projeto de lei que proíbe a exigência do comprovante de vacinação no estado para frequentar locais públicos e privados.

O projeto foi aprovado pelos demais deputados nessa quarta-feira. Apenas três parlamentarem votaram contra o texto apresentado pelo deputado. No entanto, para valer como lei, a proposta precisa ser sancionada pelo governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM).

FONTE/CRÉDITOS: RepórterMT
Comentários:

Veja também

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )